9 Frases motivacionais pra você não seguir ao pé da letra

Todos os dias somos infernizadas agraciadas com frases motivacionais, como se tivéssemos uma torcida inteira dedicada a nos apoiar para não deixar a peteca cair.

São cursos, rodas, conversas, workshops, pílulas de incentivo, slides de animação, mentoria pra uma vida plena – enfim, as redes sociais estão de braços abertos para que nos tornemos líderes, pessoas de sucesso, alguém que toma muita água e nunca esquece o filtro solar.

Daí que você não consegue alcançar o prometido, cansa de tentar, se acha a pior das criaturas e finalmente: desiste! Não, não vá por esse caminho antes de ler essas frases realmente motivacionais.

Precisamos prestar atenção no conteúdo que absorvemos e na utilidade dele
Precisamos prestar atenção no conteúdo que absorvemos e na utilidade dele

1 – “Você consegue, é só ter atitude positiva”

Infelizmente ter atitude positiva não vai pagar seus boletos no banco. Então, melhor do que ter atitude positiva é ter uma visão real da sua saúde financeira e do seu objetivo, traçando metas reais e cumprindo prazos diariamente; não tem milagre, só trabalho suado mesmo;

2 – “Seja proativa, pense fora da caixa”

Por favor, não pense fora da caixa. Tem muita gente pensando fora da caixa e não fazendo absolutamente nada, então pense dentro da sua caixa, compartilhe informação com as pessoas que admira e siga exemplos reais – não vale seguir ninguém do Vale do Silício se você ainda precisa aprender a dizer bom dia;

3 – “Não nos traga problemas, traga a solução”

O problema é que os problemas não vão se resolver sozinhos, assim como as soluções não serão apresentadas pra você por um anjo numa aparição milagrosa. É preciso falar dos problemas e encontrar soluções em conjunto, pois se não for pra ser assim, melhor nem se envolver;

4 – “Acreditamos no seu potencial”

O mundo pode acreditar no seu potencial, mas se você mesma não acreditar nele não adianta nada, não é mesmo? Portanto, mais importante do que a opinião das amigues é contar com o seu autoconhecimento nessa busca por resultados.

Existem muitas profissionais pra te ajudar nessa saga da autodescoberta – vale mais a pena pagar uma terapia bacanuda que vai lhe ajudar a trilhar o caminho das pedras do que se autoenganar pagando uma coaching de alta performance quando você ainda não descobriu o que quer da vida;

5 – “Seja você a mudança que quer ver no mundo”

Oi? Como assim? Não vai funcionar. Seja você a mudança que quer na sua vida.

Antes de tentar fazer algo pelas mazelas humanas faça por você, sabe? Assim, sem pretensão, só olhando pro próprio umbigo mesmo, fazendo o melhor que puder pra se sentir feliz e plena consigo – dessa forma, com certeza você vai afetar a estrutura toda.

6 – “Seja líder, dê exemplo”

Já pensou se o mundo todo fosse feito de líderes e de exemplos? Eu que não ia querer viver nele. Seja só você, você não precisa ser líder e nem exemplo pra ninguém, você precisa apenas e tão-somente fazer o que faz bem feito – e se for o que você ama, melhor ainda.

7 – “Com determinação é possível vencer qualquer obstáculo”

Com determinação as chances de êxito são de fato maiores, mas existem obstáculos que vão precisar de muito mais técnica do que determinação.

Seja determinada a fazer o que sabe; não dá pra vencer obstáculos de T.I. se sua formação for ciências sociais, por exemplo. Nesse caso esteja determinada a pedir ajuda de uma profissional que entenda do riscado.

8 – “Seja otimista”

A menos que você seja de sagitário, vai chegar uma hora que o otimismo vai pro brejo, e aí? Aí você precisa contar com aquela coisa realista que te acompanha e se chama consciência; ela vai te ajudar a achar uma saída, analisar os fatos e te acompanhar na saga de completar o ciclo.

9 – “Foque no resultado – mas viva o percurso”

Não tem jeito – pra chegar do ponto X ao Y tem uma linha sub-reptícia de acontecimentos diários – são esses dias que farão você chegar no resultado.

Foque no resultado (beleza, você tem um objetivo), pois isso é importante. Só que se você fingir que não precisa colocar um tijolinho em cima do outro diariamente pra chegar lá, melhor encontrar um plano pré-moldado que se encaixe no seu perfil e comprar logo ele: franquias podem ser uma opção, mas daí você tem que aceitar que não foi você quem construiu a ideia.

Encare isso como um desafio

É isso mesmo, encare isso tudo aí acima como um desafio. Aceite quem você é e o que é capaz de fazer; aceite suas limitações e sua criatividade do jeitinho que veio ao mundo. Não, você não precisa surpreender ninguém, a não ser você mesma.

Não pretendemos aqui descartar toda força que você encontra em frases diárias daqueles perfis tipo “good vibes” do Instagram. Estamos dizendo que motivação sem ação é ilusão.

6 coisas a fazer para ter mais retorno financeiro no segundo semestre

Por Ana Carolina Moreira Bavon

Durante minhas leituras e pesquisas descobri uma empreendedora de Israel chamada Liat Behr, e ela é simplesmente incrível. Para aproximar as ideias delas eu traduzi esse texto que ela publicou em dezembro de 2016 no site que leva o nome dela. Original: http://liatbehr.com/5-things-women-entrepreneurs-need-2017/

Aqui vão 6 dicas necessárias para toda empreendedora que deseja ter uma saúde financeira melhor nesse segundo semestre:

1. Faça uma lista de todos os seus clientes

 

Sem dúvida, você atraiu novos clientes no primeiro semestre de 2017. Adicione-os à sua lista mais longa, aquela de clientes acumulados ao longo dos anos. Você sabia que “custa cinco vezes mais para atrair um novo cliente, do que manter um existente?” É a razão pela qual Jay Conrad Levinson, autor de Marketing de Guerrilha, explica que nós deveríamos gastar mais da metade do nosso tempo de comercialização e orçamento em clientes existentes. Essa é uma dica que precisa ser levada bastante a sério.

2. Defina sua lista de clientes e descubra quais são os 20% deles que mais gastam com seus produtos

 

O princípio de Pareto afirma que 20% de seus clientes trarão 80% de seus resultados. Descobrir quais clientes estão gastando mais e entrar no nível de compreensão de seus pontos de dor é sua tarefa mais importante. Você provavelmente já tem um produto ou serviço novo que atende a demanda desses clientes, mas se você ainda não o achou, você pode pensar sobre como você poderia oferecer-lhes um produto ou serviço que você não pensou em oferecer. Até agora.

3. Faça um balanço dos objetivos que você atingiu e dos objetivos que você não alcançou

 

Eu não sei você, mas há metas cujo controle eu perdi totalmente, das quais não atingi nenhuma. Algumas coloquei em espera e acabei esquecendo, e a outras eu realmente queria ter me dedicado, mas não consegui. É hora de voltar. É hora de descobrir quais objetivos foram de fato um erro (mesmo que tenham sido atendidos) e quais objetivos devem ser levados mais a sério (e que estão completamente ausentes do plano e precisam ser adicionados). Depois de fazer isso, não se esqueça de desenvolver o plano de ação e amarrá-los em seu calendário.

4. Ter um objetivo de renda mensal

 

Pode parecer óbvio, mas nem sempre é. Se não for óbvio, saiba que você está fazendo um grande desserviço a si mesma quando deixa de definir uma meta financeira mensal. Pense sobre a porcentagem que você gostaria de crescer este ano e alinhe-o com suas atividades de marketing – as mais bem-sucedidas do primeiro semestre e as que você pretende tentar para esse segundo. Não pense que 100% de crescimento ou mais seja impossível. Se esse é seu objetivo, apenas certifique-se de que suas atividades de marketing e os números tenham sentido.

Tenha um objetivo de renda mensal

5. Criar um conteúdo ou calendário de marketing

 

Mesmo que você não tenha um blog, você precisa de algum tipo de calendário para ajudá-la a lembrar quando precisa iniciar certas atividades de marketing. Por exemplo, se você tem um negócio e cria produtos para um público específico, você deve checar quais são as menções ao seu público durante o ano. Por exemplo, no dia das crianças existe uma enorme quantidade de ações direcionadas para esse público, portanto você deve abordar parcerias antes dessa data e descobrir como poderá fazer ações de marketing em conjunto. Não criar um calendário de conteúdo pode significar oportunidades de negócios perdidas, e menos dinheiro no banco.

6. Descobrir qual trimestre foi mais bem-sucedido e qual foi o produto de menor sucesso

 

Agora volte e tente lembrar o porquê. É óbvio que é melhor fazer esse exercício em tempo real. Ou seja, depois de cada trimestre, descobrir por que foi um ótimo trimestre, ou menos do que bom. Mas mesmo que você não tenha feito isso depois de cada trimestre, refletir sobre isso agora irá ajudá-la a descobrir o que você precisa repetir e o que você precisa melhorar. Se você pode elevar seu quadro mais fraco e pensar apenas em três coisas para melhorar seus números, você se sairá melhor no próximo semestre.
Para concluir nota minha: preste atenção ao seu plano de negócios, esteja certa de que vem seguindo suas estratégias e planos de ação, não tenha medo de errar e lembre-se: você é a única responsável por realizar seus objetivos, cuide-se bem e cuide de todo o resto.

Como disse Nietzsche: “Só se pode alcançar um grande êxito quando nos mantemos fiéis a nós mesmos.”.

Ana Carolina Moreira Bavon

Conheça Nossos Serviços

Validei minha ideia de negócio… e agora?

– por Ana Carolina Moreira Bavon

Parabéns! Depois de muito trabalho e determinação você conseguiu validar sua ideia de negócio. Validar uma ideia não significa que você tem um plano de negócios, significa que você tem uma ideia que tende a se transformar num negócio promissor. Não podemos esquecer que a validação serve para analisar os pontos principais do negócio e definir se ele está pronto para ser desenvolvido ou se ainda precisa ser revisto. Foi validado como pronto e pode ser desenvolvido? Agora você precisa iniciar o seu produto.

O desenvolvimento do produto deve ser trabalhado de forma cautelosa e muito detalhada, isso porque dele dependerá o futuro do seu negócio.

A ideia validada precisa de um ótimo suporte para ser desenvolvida como negócio.  “Mas Ana, basta desenvolver um plano de negócios” – disse a empreendedora com a ideia validada.

Eu respondo: sim, é preciso desenvolver um plano de negócios, mas você sabe descrever perfeitamente tudo o que precisa ser colocado dentro de um plano de negócios? Provavelmente você saberá seguindo os inúmeros tutoriais que existem disponíveis na internet, mas é preciso garantir que cada parte do plano esteja “amarrada” e definida de forma objetiva.

O plano é mais um processo do que um produto. O plano de negócio não é a empresa, não é o negócio, ele é a descrição dele. O seu plano de negócios não tem o poder de prever o futuro, portanto, dificilmente descreverá com precisão razoável a sequência de eventos. Quanto mais bem elaborado e completo, mais seguro ele será, além de ser essencial para manter você atenta ao que deseja que aconteça e a todos os cenários possíveis.

Para que serve um plano de negócios?

Para a criadora: serve para organizar as ideias e tirar o projeto do universo da imaginação. Ele serve como uma análise preliminar da viabilidade do seu projeto considerando toda a operacionalidade dele.

Para quem o recebe: tem como função dar uma visão panorâmica e geral do projeto, ele é o documento que demonstra para o leitor que o projeto é viável e trará benefícios. Lembre-se que o leitor pode ser um parceiro, um investidor ou potencial sócio.

Quais são as aplicações de um plano de negócios?

  • Desenvolvimento da ideia validada
  • “Criação” do seu modelo de negócios
  • Lançamento de produto
  • Inauguração de Unidade
  • Início de operação
  • Fusão ou compra
  • Capitalização financeira
  • Lançamento de ações
  • Criação de novas empresas
  • Revitalização da empresa

Um plano de negócios bem feito poderá sofrer várias alterações durante o desenvolvimento do seu empreendimento. No entanto, ele terá uma base sólida devidamente estruturada e que poderá te deixar livre para alterar a rota a qualquer momento.

Antes de elaborar um plano de negócio

Antes de elaborar um plano de negócios você vai precisar definir seu objetivo. O que você pretende com o seu plano? Qual a finalidade dele? Lembre-se de que um plano de negócios tem várias aplicações e definir exatamente o seu objetivo vai garantir que seu plano seja desenvolvido de acordo com a aplicação para quem será destinado.

Quanto custa elaborar um plano de negócio?

Com as facilidades atuais você pode montar um plano de negócios sozinha. Existe uma infinidade de conteúdo relacionada ao tema, desde passo a passo até aulas online. Você pode contratar uma consultoria especializada, uma boa profissional vai cobrar de você um valor atrelado a complexidade do negócio para o qual você vai desenvolver o plano, podendo variar a partir dos X mil reais.

Você também pode se associar à Feminaria e desenvolver seu plano junto conosco e o valor é o que você já conhece – cabe no seu bolso e não vai afetar seu orçamento. É importante ter em mente que o custo desse trabalho precisa estar dentro da sua reserva para “abrir” seu negócio, vamos falar sobre isso em um próximo artigo.

 

Vai fazer seu plano de negócios sozinha?

A melhor dica que posso te dar é: seja o mais honesta possível, quanto mais objetiva e sincera você for, maiores são as chances de desenvolver um plano realista e de acordo com a realidade do mercado no qual irá atuar. Importante: liste inclusive suas limitações e habilidades que não tem, isso vai te dar uma maior segurança, assumir que não sabemos tudo é sinal de maturidade.

Para concluir: você nunca estará livre da obrigação de colocar no papel tudo aquilo que passa pela sua cabeça. Sempre que houver uma alteração na rota, você precisará rever seu plano de negócios e se necessário criar um outro com nova finalidade de aplicação. Se você permite mais uma dica, aqui vai: mantenha simples!

Como disse Khalil Gibran: “A simplicidade é último grau da sabedoria”.


Ana Carolina Moreira Bavon

Advogada, consultora jurídica e fundadora da Rede Feminaria.


Imagem: Pinterest