Gestão do seu negócio: o que você precisa fazer para crescer em 2018

Gestão do seu negócio: o que você precisa fazer para crescer em 2018

O ato de empreender é muitas vezes visto como concentrar atenção em várias coisas ao mesmo tempo, e isso ocorre porque no geral quem empreende acumula em si todas as posições estratégicas da empresa.
Não raro recebemos clientes muito preocupadas, pois acabaram por confundir as finanças pessoais com as da empresa e isso leva a um descontrole que pode ser fatal. Dito isso, perguntamos: Como você alia a gestão administrativa e financeira na sua empresa?
Não precisa responder agora, leia o artigo enquanto pensa sobre isso.

Desafios administrativos no empreendedorismo

Que existe uma motivação enorme em torno do “vai lá e faz”, ninguém duvida; contudo, quase nunca esse “vai lá e faz” vem acompanhando do “planejando assim e assim”.
Ovacionamos o empreendedorismo, o perfil multidisciplinar e a capacidade da empreendedora de manter os olhos em todas as áreas da empresa, mas isso acaba se traduzindo em desinformação, pois dessa forma deixamos de dizer claramente que empreender é administrar.
Nós assumimos esse papel e dizemos com todas as letras: para crescer em 2018 sua empresa precisa de uma boa gestão.

Uma boa gestão é a solução

A gestão administrativa pode ser traduzida em duas palavras: organização e planejamento. Ambas definem a estrutura dos processos gerenciais em uma empresa, independentemente do tamanho dela. Tirar um negócio do papel exige planejamento, mas manter uma empresa em crescimento exige planejamento estratégico e capacidade de execução.
Gerenciar é tarefa cotidiana, faz parte da rotina de quem empreende. É um trabalho que exige foco e diligência, mas ele não precisa ser solitário, você pode se valer da cogestão!
A cogestão administrativa pode ajudar a colocar o seu negócio nos eixos e ainda levá-la a um novo patamar.

Os benefícios da cogestão

Num programa de cogestão a empreendedora contratante tem todo o suporte para a tomada de decisões mais seguras. Isso porque contará com alguém ao seu lado avaliando em conjunto todos os próximos passos, reduzindo a chance de erros. E a gente sabe que errar às vezes custa caro.
Por contar com uma visão ampla de mercado, o processo de cogestão vai ajudar a apontar caminhos dentro do mercado em que você atua e que podem levá-la a identificar oportunidades de melhoria e expansão do seu negócio.
Baseada em informações fornecidas pela empreendedora a empresa de cogestão pode analisar as informações e elaborar um diagnóstico, definir o ponto de partida do programa, e o cronograma de trabalho que, no caso do Programa Expansão da Feminaria, dura 12 meses.

Dedique-se a conhecer seu negócio, aprender sobre ele e crescer!

O próximo ano pode ser o ponto de partida para uma nova realidade. Se você não conhece muito bem onde está ou onde quer chegar, elabore um bom plano de negócios, descubra quais são suas melhores habilidades, estruture seu emocional e siga adiante! Vai lá e faz com planejamento!

Ah… e mais uma coisa, claro – siga as dicas da Feminaria! Cadastre-se ao lado para receber nossa newsletter.

Quais as características do perfil empreendedor feminino?

O empreendedorismo tem ganhado cada vez mais força no Brasil e muito se fala sobre os requisitos básicos para se tornar um empreendedor de sucesso. Mas, como mulher, você já se perguntou quais são as características do perfil empreendedor feminino? Será que realmente existem diferenças quando quem está à frente de um novo negócio é uma mulher e não um homem? Neste artigo, vamos mostrar que ser mulher pode ser muito vantajoso.

Características do perfil empreendedor feminino

Segundo o site Mulheres Empreendedoras, o Brasil conta com mais de 5,7 milhões de mulheres empreendedoras. Elas estão em 30% das sociedades de empresas ativas e, em mais de 98% dos casos, são donas de micro, pequenas ou médias empresas.

Outro dado interessante é que a maioria tem mais de 30 anos, pelo menos um filho, escolaridade e padrão de vida altos.

Ainda existe um regionalismo muito grande. Mais da metade das mulheres empreendedoras estão na região sudeste e apenas 4% na região norte do país.

Características femininas no empreendedorismo

Agora que sabemos os dados estatísticos do perfil empreendedor feminino, vamos entender o que a mulher traz como diferencial ao empreendedorismo no Brasil.

Coragem

Mulher é sinônimo de coragem. Começar ou, até mesmo, desenvolver um negócio próprio envolve muitas questões. Em muitos casos, é preciso se decidir por deixar a estabilidade de um emprego fixo para ir atrás de seu sonho. A mulher já teve que ter coragem ao longo de toda a vida, coragem para empreender será apenas mais uma para a lista.  

Multitarefa

É muito comum ouvir que mulheres são multitarefas. Essa é uma característica muito positiva, pois amplia a capacidade de atuação. A aptidão em agir e pensar sobre mais de um assunto em um mesmo intervalo de tempo pode fazer toda a diferença na administração de uma empresa.

Mas cuidado! Ser multitarefa não pode ser confundido com acumular tarefas. Saber delegar também é essencial para ter um negócio de sucesso.

Sensibilidade aguçada

Uma mulher é capaz de perceber detalhes que, muitas vezes, passam despercebidos pelos homens. E, no mundo dos negócios, cada detalhe pode significar muita coisa — desde aqueles associados ao relacionamento com a equipe, os fornecedores e os clientes até os detalhes mais técnicos, relacionados aos produtos ou ao serviço oferecido.

Relacionamento interpessoal

Mulheres são mais hábeis na gestão de relacionamentos interpessoais nas empresas. São mais aptas a gerenciar conflitos e intermediar discussões. Elas são mais persuasivas, pacientes e eloquentes nas negociações. Em geral, têm inteligência emocional mais apurada do que os homens.

As mulheres têm muitas qualidades importantes para o cenário empreendedor no Brasil. O perfil empreendedor feminino mostra que as mulheres vêm ganhando cada vez mais espaço no mercado. Por sua vez, as características femininas reafirmam o poder que a mulher tem e pode alcançar à frente de seu próprio negócio.

Citamos apenas algumas características femininas importantes para ser uma empreendedora de sucesso. Você se identificou com alguma? Lembrou de mais alguma que não foi relacionada? Deixe um comentário e compartilhe com a gente as características femininas que você usa no seu negócio!

Aprenda como fazer um plano de negócios eficiente

Planejamento é parte essencial para a realização de um objetivo, seja uma viagem, um presente ou o sucesso de uma empresa. Ter uma visão geral sobre os pontos fortes e as fraquezas do negócio ajuda a explorar oportunidades e contribui para a criação de medidas de proteção que ajudem as gestoras durante imprevistos.

Por isso, saber como fazer um plano de negócios é uma habilidade que precisa estar no foco de qualquer empreendedora. Confira!

Mas, afinal, o que é um plano de negócios?

Ele é o documento que apresenta a estrutura da sua empresa: todas as informações sobre o produto ou serviço devem estar presentes nesse documento, além de dados sobre o público-alvo que se deseja atingir e informações sobre o mercado de atuação, concorrentes, fornecedores e possíveis parceiros.

O plano de negócios coloca no papel todos os pontos fortes e fracos do seu negócio e ajuda na definição de estratégias para o médio e longo prazo. Por ser tão estratégico, é um documento que sempre precisará ser revisto e reescrito, para incluir novas opções de negócios e modificar planos que, por diferentes motivos, não fazem mais sentido.

Para te ajudar no desenvolvimento do seu plano de negócios, separamos 4 passos que precisam ser tomados para a criação de um material consistente e que trará informações valiosas para contribuir com o sucesso da sua empresa.

Como fazer um plano de negócios?

Estudo do seu negócio

Nesta parte, é necessário incluir informações, como o histórico das profissionais que estão no comando da empresa, além da missão, visão e valores da companhia. Também, devem ser definidos de aspectos técnicos como a formatação jurídica (Microempreendedor Individual, Empresário Individual, Sociedade Limitada etc) e enquadramento tributário — o qual depende da previsão de faturamento anual.

Por fim, é importante listar a fonte de recursos que será usada para abertura e manutenção do seu negócio nos primeiros meses.

Análise dos clientes, concorrentes e fornecedores

É preciso descrever em detalhes o perfil do cliente que você deseja atingir, como renda, faixa etária, interesses, gênero (para pessoas físicas). Para empresas, é preciso dizer quais serviços elas prestam e há quanto tempo estão no mercado.

O mesmo cuidado precisa ser observado na análise da concorrência — elencando os pontos positivos e negativos tanto da companhia como do produto ou serviço que ela oferece.

Por último, é hora de olhar para os fornecedores com quem você vai trabalhar e apontar informações, como qualidade, preços, prazo para entrega e facilidade de negociação, entre outros.

Estratégia de marketing e distribuição

É um dos momentos mais interessantes para as empresárias que estão desenvolvendo seu plano de negócios: nessa parte é necessário descrever o produto ou serviço que se deseja oferecer.

Deve-se indicar os valores que se deseja cobrar -— especificando todos os gastos que justificam o preço final —, a forma de comercialização do produto (internet, ponto de venda) e como ela acontecerá (se o cliente poderá fazer a compra diretamente ou apenas com um representante comercial, por exemplo).

Também é importante realizar um plano de marketing, abordando os meios  de Comunicação nos quais o produto será anunciado e a estratégia de divulgação.

Planejamento financeiro

Quais recursos você precisa para começar ou dar continuidade ao seu negócio? A resposta para esta pergunta precisa estar descrita nesta parte do seu plano de negócios,descrevendo informações como metas de faturamento para curto e médio prazo e expectativa de retorno do investimento, por exemplo.

Dica extra: procure apoio profissional

Buscar os serviços de uma consultoria especializada em como fazer um plano de negócios é uma boa alternativa: assim, você otimiza o tempo de produção do documento e cria em conjunto com uma equipe de profissionais um plano que alia a sua expertise e conhecimento do mercado com a experiência de quem já desenvolve esse tipo de projeto e sabe o que fazer para evitar erros que passariam despercebidos por ”  marinheiras de primeira viagem”.

Ficou interessada em como fazer um plano de negócios, mas não sabe se já é a hora? Confira a postagem que preparamos com quatro benefícios que este documento proporciona para o seu negócio, independente do estágio no qual ele se encontra.

Empreendedorismo: saiba administrar seu negócio

Empreendedorismo: saiba administrar seu negócio

Olhar para o seu negócio como uma empresa não deve ser a parte chata (independentemente do tamanho dela). Ao invés disso, deve ser o maior desafio, pois é a boa gestão que vai garantir seu sucesso no empreendedorismo.

empreender é administrar
O desafio é não perder nada de vista

Seu produto ou serviço não é tudo

O empreendedorismo feminino no mundo todo está crescendo a uma taxa de mais de 10% ao ano, segundo o estudo Women Entrepreneur Cities Index (WE-Cities). Apesar do sinal positivo, observa-se que muitas empresas têm fechado as portas logo nos primeiros anos de existência. Entre as razões mais comuns estão a falta de um plano de negócio, a dificuldade de adaptação às tendências do mercado e a má gestão.

No geral, ao iniciar um empreendimento, toda a energia é voltada para a validação do negócio – a atenção é focada em mostrar a qualidade do produto ou serviço que oferecemos, e nos dedicamos a aumentar nossa rede de conexões e vender – vender – vender. Afinal, lá no fundo consideramos sucesso o pro labore mensal – o que não é de todo errado. No entanto, isso não é suficiente.

Um bom exemplo disso encontramos no depoimento, veiculado pela Draft, de Patrícia Lages, uma empreendedora que precisou quase falir para então entender a importância da administração:

“Eu achava que estava preparada, pois subestimava o que é ter um negócio. Eu não sabia que tudo dependia de mim; pensava que minhas funcionárias eram pagas para resolver todos os problemas, e que a mim cabia apenas “fazer o que os donos fazem”. Só que eu não tinha a menor ideia do que um empreendedor, dono de seu primeiro negócio, deveria fazer. Resumindo: eu só achava que estava preparada porque não sabia o que era realmente ter um negócio.”

Empreendedorismo implica visão global do negócio

Enquanto fugirmos da realidade vamos sofrer consequências no bolso; desenvolver um negócio é um exercício de desenvolver uma organização, e portanto envolve necessariamente administração. Empreender implica em errar, e se você ainda não entendeu que é preciso investir em conhecimento administrativo, esse é seu primeiro erro como empreendedora.

Quando o empreendedorismo acontece, a mulher por trás do negócio está automaticamente gerenciando uma organização. Para que isso aconteça o mais eficientemente possível ela precisará de ferramentas para executar as atividades e obter resultados. A administração proporciona as melhores ferramentas e explica como usá-las – cabe a você adquirir a habilidade necessária com a prática.

Aprender a gerir seu negócio é assumir um compromisso de longo prazo. Aprender, conhecer, dominar e aplicar técnicas eficientes de administração são a garantia da permanência no mercado.

A Feminaria existe exatamente para estar ao seu lado na gestão do seu negócio. Conheça nosso Programa Expansão, através do qual fornecemos conhecimento de gestão através de ferramentas, para que você administre seu empreendimento da maneira mais eficiente possível – afinal empreender é administrar.

Plano de negócios… afinal de contas, o que é isso?

O que é um plano de negócios, afinal de contas?

Provavelmente você já ouviu falar em plano de negócios e sobre como ele é importante para as empresas, mas, afinal, o que é um plano de negócios?

Em palavras simples, dá pra dizer que um plano de negócios é o "esqueleto" do planejamento de uma empresa. É ele que vai definir, delimitar e esclarecer o modelo de negócios de uma empresa.

Quais são as partes do seu negócio e como elas se encaixam?
Quais são as partes do seu negócio e como elas se encaixam?

 

Mas o que é modelo de negócios?

Sem recorrer a conceitos engessados, dá pra explicar que é o seu modelo de negócios que vai dizer o que você vende, para quem vende, e se vale a pena (não só financeiramente, mas em vários outros aspectos) e se é possível fazer o que você pretende fazer. Um bom modelo de negócios não só delimita sua clientela como também preocupa-se com aquilo que seus clientes valorizam e como eles entendem custo-benefício.

Se o modelo de negócios responde às questões essenciais e fornece uma visão geral do que é o seu negócio e como ele será tocado, o plano de negócios entra em cena para detalhar aquilo que foi fornecido pelo seu modelo.

Um bom plano de negócios serve de orientação para encontrar informações sobre o seu ramo, produtos e serviços, clientes, concorrentes, fornecedores e, principalmente, sobre os pontos fortes e fracos de um empreendimento. É uma ferramenta que pode e deve ser usada para direcionar sua gestão e orientar você na realização de suas metas, pois é ancorada em informações que vão servir de subsídio para decisões estratégicas.

O plano de negócios deve incluir:

  • A proposta de valor do negócio (os produtos ou serviços são úteis e valem o preço que se paga por eles?)
  • Os públicos-alvo de um determinado produto ou serviço (para quem ele interessa?)
  • Os canais de distribuição (como você vai vender ou entregar seus produtos ou serviços?)
  • A forma pela qual se dará a relação com os clientes (como se dá o processo de venda? E a pós-venda?)
  • As descrições dos procedimentos (o que precisa ser feito internamente para que tudo ocorra conforme o planejado?)
  • Os diferenciais competitivos (como um negócio se destaca frente a seus competidores? Como seu produto resolve melhor as necessidades dos clientes?)
  • A rede de fornecedores e parceiros (de quem você compra sua matéria-prima, produtos para revenda ou suprimentos? Dentro do ecossistema de seu negócio, quais players externos podem beneficiar você e serem beneficiados pelo seu modelo?)
  • Estrutura de custos (quanto custa para fazer seu produto ou entregar seu serviço, incluindo todos os gastos que não tem necessariamente a ver com esse produto ou serviço?)
  • Modelo de receita de um empreendimento (simplificando: como você vai ganhar dinheiro com o que faz?)

É importante dizer que um plano de negócios não é um documento que vai ser elaborado e servirá como guia da gestão para todo o sempre. Muito pelo contrário; o plano de negócios é feito para ser mudado de acordo com os objetivos de quem o prepara, e de acordo com as adequações necessárias para a viabilidade de um produto ou serviço, sejam quais forem.

No Programa Expansão da Feminaria você conta com toda a orientação para montar, modificar ou gerir seu plano de negócios e todas as partes que o compõem.

Diferentemente de outras empresas que prestam assessoria empreendedora, não oferecemos cursos que tem início, meio e fim; muito pelo contrário, estamos com você o tempo todo, fornecendo direcionamento constante e personalizado em programas de cogestão. Clique aqui para saber mais.

Gostou desse post? Assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

9 Frases motivacionais pra você não seguir ao pé da letra

Todos os dias somos infernizadas agraciadas com frases motivacionais, como se tivéssemos uma torcida inteira dedicada a nos apoiar para não deixar a peteca cair.

São cursos, rodas, conversas, workshops, pílulas de incentivo, slides de animação, mentoria pra uma vida plena – enfim, as redes sociais estão de braços abertos para que nos tornemos líderes, pessoas de sucesso, alguém que toma muita água e nunca esquece o filtro solar.

Daí que você não consegue alcançar o prometido, cansa de tentar, se acha a pior das criaturas e finalmente: desiste! Não, não vá por esse caminho antes de ler essas frases realmente motivacionais.

Precisamos prestar atenção no conteúdo que absorvemos e na utilidade dele
Precisamos prestar atenção no conteúdo que absorvemos e na utilidade dele

1 – “Você consegue, é só ter atitude positiva”

Infelizmente ter atitude positiva não vai pagar seus boletos no banco. Então, melhor do que ter atitude positiva é ter uma visão real da sua saúde financeira e do seu objetivo, traçando metas reais e cumprindo prazos diariamente; não tem milagre, só trabalho suado mesmo;

2 – “Seja proativa, pense fora da caixa”

Por favor, não pense fora da caixa. Tem muita gente pensando fora da caixa e não fazendo absolutamente nada, então pense dentro da sua caixa, compartilhe informação com as pessoas que admira e siga exemplos reais – não vale seguir ninguém do Vale do Silício se você ainda precisa aprender a dizer bom dia;

3 – “Não nos traga problemas, traga a solução”

O problema é que os problemas não vão se resolver sozinhos, assim como as soluções não serão apresentadas pra você por um anjo numa aparição milagrosa. É preciso falar dos problemas e encontrar soluções em conjunto, pois se não for pra ser assim, melhor nem se envolver;

4 – “Acreditamos no seu potencial”

O mundo pode acreditar no seu potencial, mas se você mesma não acreditar nele não adianta nada, não é mesmo? Portanto, mais importante do que a opinião das amigues é contar com o seu autoconhecimento nessa busca por resultados.

Existem muitas profissionais pra te ajudar nessa saga da autodescoberta – vale mais a pena pagar uma terapia bacanuda que vai lhe ajudar a trilhar o caminho das pedras do que se autoenganar pagando uma coaching de alta performance quando você ainda não descobriu o que quer da vida;

5 – “Seja você a mudança que quer ver no mundo”

Oi? Como assim? Não vai funcionar. Seja você a mudança que quer na sua vida.

Antes de tentar fazer algo pelas mazelas humanas faça por você, sabe? Assim, sem pretensão, só olhando pro próprio umbigo mesmo, fazendo o melhor que puder pra se sentir feliz e plena consigo – dessa forma, com certeza você vai afetar a estrutura toda.

6 – “Seja líder, dê exemplo”

Já pensou se o mundo todo fosse feito de líderes e de exemplos? Eu que não ia querer viver nele. Seja só você, você não precisa ser líder e nem exemplo pra ninguém, você precisa apenas e tão-somente fazer o que faz bem feito – e se for o que você ama, melhor ainda.

7 – “Com determinação é possível vencer qualquer obstáculo”

Com determinação as chances de êxito são de fato maiores, mas existem obstáculos que vão precisar de muito mais técnica do que determinação.

Seja determinada a fazer o que sabe; não dá pra vencer obstáculos de T.I. se sua formação for ciências sociais, por exemplo. Nesse caso esteja determinada a pedir ajuda de uma profissional que entenda do riscado.

8 – “Seja otimista”

A menos que você seja de sagitário, vai chegar uma hora que o otimismo vai pro brejo, e aí? Aí você precisa contar com aquela coisa realista que te acompanha e se chama consciência; ela vai te ajudar a achar uma saída, analisar os fatos e te acompanhar na saga de completar o ciclo.

9 – “Foque no resultado – mas viva o percurso”

Não tem jeito – pra chegar do ponto X ao Y tem uma linha sub-reptícia de acontecimentos diários – são esses dias que farão você chegar no resultado.

Foque no resultado (beleza, você tem um objetivo), pois isso é importante. Só que se você fingir que não precisa colocar um tijolinho em cima do outro diariamente pra chegar lá, melhor encontrar um plano pré-moldado que se encaixe no seu perfil e comprar logo ele: franquias podem ser uma opção, mas daí você tem que aceitar que não foi você quem construiu a ideia.

Encare isso como um desafio

É isso mesmo, encare isso tudo aí acima como um desafio. Aceite quem você é e o que é capaz de fazer; aceite suas limitações e sua criatividade do jeitinho que veio ao mundo. Não, você não precisa surpreender ninguém, a não ser você mesma.

Não pretendemos aqui descartar toda força que você encontra em frases diárias daqueles perfis tipo “good vibes” do Instagram. Estamos dizendo que motivação sem ação é ilusão.


Na Feminaria vemos as realizações como resultado de trabalho duro, gestão relevante e comprometimento. Se você gosta de nosso conteúdo, assine nossa newsletter e receba nossas atualizações em primeira mão!

Consultoria especializada: mitos e verdades

Consultoria Especializada: Mitos e Verdades

As justificativas para não buscar uma consultoria são as mais diversas. Algumas delas são fundamentadas, mas outras demonstram claramente a falta de conhecimento sobre o que de fato é uma consultoria. Nesse artigo vamos fazer o possível para te ajudar a entender e buscar aquela que mais vai te ajudar de acordo com seu momento.

“Consultoria especializada é cara.”

“Não preciso de uma consultoria especializada porque ainda estou começando.”

“Minha empresa não apresenta problemas que eu não possa resolver sozinha.”

“Uma consultoria não vai conhecer meu negócio tão bem quanto eu.”

“Mas o que é uma consultoria especializada?”

São muitas as perguntas, e a consultoria especializada ainda adormece numa realidade distante daquela empreendedora que até aqui conhecia apenas produtos caríssimos quando especializados. No entanto, atualmente existem opções viáveis que adicionam muita segurança ao desenvolvimento do seu negócio. Vejamos aqui alguns motivos para a contratação de uma consultoria especializada e como ela poderá impactar positivamente seu negócio.

Um dos motivos é você poder se dedicar ao que você faz de melhor!
Um dos motivos é você poder se dedicar ao que você faz de melhor!

Visão imparcial e panorâmica sobre o seu negócio

Uma consultoria especializada vai analisar todos os aspectos do seu negócio sem se envolver emocionalmente. Veja bem, o fato de não haver envolvimento emocional não quer dizer que não haverá comprometimento e interesse real. Acontece que na grande maioria dos casos as gestoras, fundadoras, criadoras e “faz tudo” da empresa acreditam estar fazendo um ótimo trabalho por terem criado e erguido um negócio, muitas vezes com parcos recursos e conhecimento, e justamente por isso acabam por ser bastante resistentes a mudanças. Um negócio precisa de um olhar técnico que acompanhe a modernização do mercado, e nesse caso o olhar crítico de fora é de enorme valia.

Conhecimento técnico multidisciplinar

Uma consultoria vai se debruçar sobre todos os aspectos do seu negócio. Com certeza uma gestora que desenvolveu o próprio negócio conhece – e muito – sobre ele, mas nem sempre (ou quase nunca) vai conseguir abraçar todas as particularidades e áreas de um empreendimento, e é aí que a consultoria supre a lacuna.

Como melhorar o relacionamento com clientes? Como automatizar tarefas? Como fazer uma gestão adequada das finanças? Como se preparar para venda em atacado? Como identificar melhorias no marketing? Uma consultoria sempre vai buscar responder essas e muitas outras perguntas na realidade em que elas foram levantadas.

Foco em melhoria contínua e resultados

Com uma consultoria acompanhando os processos do negócio, a gestora/gestor poderá se dedicar ao planejamento com mais tranquilidade, pois vai dispor de tempo para isso. A consultoria vai manter o olhar focado no crescimento estruturado, enquanto a gestora poderá propor novos desafios.

Uma consultoria especializada vai manter você e seu empreendimento no trilho certo, com olhar para o futuro e em constante atualização, para que possa acompanhar o mercado e suas inúmeras tendências.

Gostou do nosso tema? Assine nossa newsletter para ter acesso a mais conteúdo e caso queira contar conosco como sua consultoria especializada é só visitar a aba programas e saber mais.

Dia das crianças: o desafio de agradar os pequenos e manter o orçamento em dia

Dia das crianças: o desafio de agradar os pequenos e manter o orçamento em dia

Conforme pesquisa da Boa vista SCPC que consultou 1.100 pessoas no país, 57% dos entrevistados informou que pretende gastar uma quantia igual ou menor do que em 2016 para presentear os pequenos. A pesquisa apurou ainda alta de 14% sobre o valor médio dos produtos, passando de R$ 174 no ano passado para R$ 198 em 2017.

Como se não bastasse a alta nos preços, alguns produtos são taxados com impostos de até 100% – entre eles o líder de pedidos das crianças nessa época: o vídeo game.

Segundo a pesquisa, o preço do presente será determinante para a decisão em 40% dos casos. Já o desejo da criança será levado em conta por 33% dos consultados, enquanto a necessidade do produto deve ser considerada em 24% das compras.

É possível unir preço, qualidade, encanto e ainda assim fomentar a economia?

Sem dúvida! Produtos de qualidade, com preço extremamente competitivo e feitos com exclusividade são uma das especialidades das empresas em desenvolvimento na Feminaria, e são elas que indicamos como melhor lugar para a sua compra – a satisfação é certa! Confira algumas dicas:

Leloo (https://www.leloo.com.br)

A Leloo é uma loja especializada em peças infantis de temas lúdicos e conta com uma série de fofuras para presentear bebês e crianças, como brinquedos, almofadas, mordedores, todos lindos e com design exclusivo.

Naninha Ursinho Cinza
Naninha Ursinho Cinza

TeraPlay – brinquedos terapêuticos (https://teraplay.com.br/loja/)

A TeraPlay é uma empresa com produtos especialmente desenvolvidos para auxiliar as crianças a desenvolverem seu lado emocional e sensorial. A CEO da marca, Cristiane, entrou nesse mercado por acaso, enquanto pesquisava a criação de peças que pudessem auxiliar o filho, diagnosticado com espectro autista. A loja conta com uma série de produtos para crianças, inclusive livros.

Bracelete Emoções
Bracelete Emoções

Pinhata (https://www.facebook.com/PinhataPresentes/)

A Pinhata Presentes produz produtos em tecido e feltro para sua marca e/ou evento. Além de brinquedos lúdicos e que encantam os pequenos, também oferece brindes, lembranças, brinquedos, utilitários, decoração.

Cubo para Colorir Lavável
Cubo para Colorir Lavável

Jan.m (https://www.elo7.com.br/janm/loja)

Especializada em decoração afetiva, a loja tem uma série de lousas em formato diferente que podem decorar o quarto dos pequenos. Todas as peças são produzidas por Gisele, dona da marca e arquiteta.

 Luz de Fada Mini Cupulas Tecido
Luz de Fada Mini Cupulas Tecido

Ideia Crua (http://www.ideiacrua.com.br/)

Que tal um presente personalizado? A estamparia tem uma série de itens desde camisetas até sacolas, que você pode personalizar criando um presente único. Todos os processos de estamparia da Ideia Crua são ecologicamente corretos.

Flâmula estampada - Sua estampa
Flâmula estampada – Sua estampa

Bebê de boa (http://www.bebedeboa.com.br/)

A Bebê de Boa trabalha com roupas para bebês de 0 a 12 meses, valorizando o conforto dos pequenos. Lá você consegue encontrar roupas lindas para bebês pequenos.

Macacão Bebê de Boa de Plush com Bordado Robô mescla cinza
Macacão Bebê de Boa de Plush com Bordado Robô mescla cinza

Caramelito (https://www.elo7.com.br/caramelito/albuns)

A Caramelito é uma loja de artigos infantis, com itens de vestuário exclusivos, utilidades e decoração como camisetas, almofadas, colares de âmbar, entre outros.

Cachepô Cesto Pássaro Fio de Malha
Cachepô Cesto Pássaro Fio de Malha

Na Casa Dela Tinha (http://www.nacasadelatinha.com.br/)

A loja comercializa acessórios diferenciados e artesanais como nécessaires, bolsas e capas para livros, e lancheiras.

Conjuntinho Alice sonhadora
Conjuntinho Alice sonhadora

Todas as empresas são clientes em desenvolvimento na Feminaria.

4 motivos para fazer seu plano de negócios

Lugar de plano é no papel

Conheça os motivos para criar seu planejamento

Muitos empreendedores defendem a ideia de que planos não são necessários para fazer o básico do dia a dia, mas sem o planejamento adequado fica praticamente impossível executar alguns aspectos do negócio, inclusive pensar em uma futura expansão dele. Confira alguns motivos pelos quais você deveria pensar em ter um plano de negócios:

Planejar é olhar, pensar, desenhar, imaginar, esquematizar... e começar de novo do zero quantas vezes necessário

 

1 – Avaliar sua ideia de negócio

Você tem uma ideia de negócio que parece interessantíssima, mas não sabe se ela é realmente viável? O plano de negócios vai levantar as respostas que você precisa para isso. Ao fazê-lo você irá pensar e pesquisar aspectos como: modelo de negócio, público, entre outros.

2 – Definir objetivos claros

Muitos negócios iniciam e sobrevivem com o objetivo básico de lucratividade, mas acabam se perdendo nos seus valores e objetivos de utilidade. Ter objetivos claros lhe ajudará a chegar neles mais rápido.

3 – Conhecer seu mercado

Sua ideia tem concorrência? Quais são seus diferenciais perante eles? Conhecer os vizinhos é tão importante quanto conhecer os aspectos internos da sua empresa. Além disso, é conhecendo o mercado que você conhecerá uma das partes mais importantes do seu negócio: seu cliente.

4 – Investimentos

Saber qual é o investimento inicial do seu negócio é apenas um dos pontos financeiros que você precisará estudar ao longo da sua jornada. Além de permitir que você planeje futuras possibilidades de investimento, o plano de negócios também permite que você busque investidores externos, já que esse será um dos primeiros documentos que lhe serão pedidos.

Na Feminaria todas as clientes tem pleno auxílio na criação do seu plano de negócios durante o Programa Expansão.

 

Como empreender sem sair do emprego em 7 dicas

Empreender e ainda continuar no trabalho formal não é um impeditivo, minha amiga. A bem da verdade, se você usar sua sagacidade, vai conseguir tirar proveito dessa situação e ganhar com isso.

Empreender sem sair do emprego: siga essas dicas e aproveite o melhor de dois mundos.

Empreender sem sair do emprego é mais ou menos assim: um exercício eterno de equilíbrio de agendas.
Empreender sem sair do emprego é mais ou menos assim: um exercício eterno de equilíbrio de agendas.

A decisão de empreender não escolhe data. Por isso, muitas vezes pode acontecer de conseguirmos a coragem para tal justamente quando estamos ali dentro do formato clássico: trabalhando formalmente. Empreender requer sacrifícios, é um caminho bastante longo, vai exigir de você decisões difíceis, e ao mesmo tempo você precisará continuar dando conta das suas tarefas dentro do ambiente corporativo. Optando por continuar na estabilidade do seu trabalho no corporativo – com os benefícios que ele traz – enquanto lida com o desenvolvimento do seu negócio é tentador: você só precisará estar atenta para não prejudicar nenhum dos dois universos.
Algumas dicas de quem já esteve aí poderão te ajudar a definir a estratégia da transição:

1 – Não misture as coisas

Essa vai ser uma das partes mais difíceis. Você precisará estar focada no seu trabalho diário e deixar pra investir tempo no seu empreendimento enquanto estiver em casa – se você misturar os e-mails, telefonemas e negociações correrá o risco de pecar em ambas as tarefas. Uma vez em casa cuidando do seu empreendimento, os negócios da empresa não podem tomar seu tempo;

2 – Planeje: faça um plano de negócios para o desenvolvimento do seu produto e considere suas horas de trabalho no corporativo

Dessa forma você não ficará tentada a misturar as coisas. Eduque-se para fazer o que tem que ser feito durante todo o seu tempo livre, mapeie as habilidades que serão necessárias para o seu projeto e dedique-se a desenvolvê-las (sabemos que não é fácil, mas é seu projeto de vida, certo?);

3 – Utilize a tecnologia

Ela será sua aliada desde o inicio; processos que puderem ser automatizados te darão um respiro enquanto mantém sua “vida dupla,” plataformas e aplicativos podem fazer seu papel durante o período em que você se dedica a empresa. Aplicativos como Trello e a técnica Pomodoro são uma mão na roda.

4 – Fique atenta ao seu orçamento

Uma vez estabelecido o limite de permanência dentro do corporativo, você precisará se programar para não ter um salário mensal, portanto esteja ciente de que seu poder financeiro vai mudar consideravelmente: os passos iniciais do seu negócio serão vagarosos e você deve saber que seu padrão de vida poderá mudar por um período – se você se programar para isso com certeza terá uma transição mais tranquila;

5 – Não esqueça onde está

Dentro do ambiente corporativo você está por dentro de tudo o que esta acontecendo no mercado. Use isso a seu favor e, ao pensar em sair da empresa, não esqueça que foi ali que começou sua jornada; leve toda essa experiência pra sua realidade empreendedora – contatos sempre serão contatos, conhecimento aprendido é investimento;

6 – Envolva-se na nova realidade

Respeite o tempo de maturação do seu próprio negócio e faça contatos e parcerias. Participe de ambientes que proporcionem trocas de experiência e networking com pessoas da área em que você pretende empreender;

7 – Uma vez em voo solo, dedique-se de corpo e alma

Agora dedicada 100% ao seu empreendimento, estabeleça parcerias, faça visitas e troque o home office por espaços de trabalho compartilhado. Eles tem baixo custo e a estrutura inicial pra receber seus clientes; também são uma bela fonte de troca e inspiração.

Está passando por essa transição? Gostaria de receber mais dicas sobre o ambiente empreendedor e se atualizar em questões profissionais? Assine nossa newsletter – a assinante conta com conteúdos exclusivos!