Quem paga a conta pelo erro?

A chance de dar errado existe, mas como você lida com ela? Não pense que ser perfeccionista e não admitir a possibilidade de cometer erros é uma qualidade, isso já virou mito faz muito tempo. Hoje vivemos uma realidade de mutação constante e, portanto, planos são alterados durante o percurso. Mudanças de planos implicam em erros que não foram previstos – essa é uma constatação. Portanto, errar é natural. O que fará de você alguém melhor e mais preparada para qualquer futuro é o reconhecimento espontâneo do erro e a capacidade de absorver o aprendizado que ele traz.

Bater a cabeça na mesa não vai ajudar...
Bater a cabeça na mesa não vai ajudar…

 

Quão tolerante ao erro você é? Quão tolerante ao seu próprio erro você é? Nem sempre seremos aplaudidas, nem sempre seremos elogiadas e ovacionadas, mas sempre aprenderemos, sempre descobriremos novas formas de resolver problemas antigos. A capacidade de aceitar que é falível e ser gentil consigo é maturidade e sabedoria. Todas erramos ou erraremos; as únicas pessoas isentas a isso são aquelas que não arriscam jamais, e você não é uma delas, não é verdade?

Em menor ou maior escala erros são erros e eles vão impactar seus planos. Para entender um pouco mais sobre aquelas áreas em que os erros podem prejudicar sobremaneira sua estrutura, vamos dividir aqui em 3 grandes grupos:

Erros causados por um capital emocional desalinhado

São aqueles erros baseados em questões emocionais e que afetam o seu cotidiano. Você passa a se sentir constantemente sobrecarregada, insatisfeita com a rotina, e acaba agindo por impulso. Seu dia ruim cruza com o dia ruim de um cliente, as emoções estão a mil por hora, não há freio que faça parar e pá: uma tomada de decisões precipitadas. Para evitar uma tragédia é preciso entender quais são as raízes desse desalinho e fazer um trabalho bem focado no seu emocional. Características assim tendem a ser toleradas e definidas como ossos do ofício, mas não são. São um sinal de alerta e que precisam ser verificadas, caso contrário seu negócio sentirá as mesmas dores que você.

Erros causados por uma gestão ineficiente

Esses erros são muito parecidos e quase que ligados aos erros causados por um capital emocional em desalinho. Como gestora você precisa ter uma liderança empática e eficiente, saber motivar sua equipe e todos os parceiros que trabalham com você. Ter uma comunicação clara e distribuir as tarefas de acordo com a capacidade de cada uma das pessoas que trabalha pelo seu negócio. Tarefas mal elaboradas, metas não alcançadas e horas de trabalho jogadas fora. Essas falhas são causadas por falhas na gestão. Um bom planejamento com auxílio externo pode ajudar a resolver esse problema e evitar erros maiores que afetem o desenvolvimento do negócio.

Erros causados por falta de planejamento estratégico e um bom plano de negócios

A falta de conhecimento e planejamento estratégico podem causar enormes problemas no desenvolvimento de um negócio, principalmente quando ele está começando ou entrando na fase de crescimento. Se você não tem um plano de negócios ou um planejamento estratégico para seu negócio, é importantíssimo começar hoje mesmo. A falta desses 2 itens é similar a entrar num país desconhecido sem um mapa e uma bússola, e não estou pecando pelo excesso! Não é exagero dizer que o principal erro aqui é não buscar por ajuda especializada quando precisa, eu sei bem que a vida de empreendedora é aquele exército de uma mulher só, mas isso não pode prejudicar o seu desenvolvimento: por mais super-mulher que você seja, e eu sei que você é, você precisa de ajuda.

Como disse Peter Drucker : “Para ter um negócio de sucesso, alguém, algum dia, teve que tomar uma atitude de coragem”.

Você tem um plano de negócios? Precisa criar um, ou validar, acompanhar ou otimizar o plano de negócios que você já tem? O Programa Expansão foi feito para você! Clique aqui para conhecer esse programa ou entre em contato conosco se precisar de mais informações.

6 coisas a fazer para ter mais retorno financeiro no segundo semestre

Por Ana Carolina Moreira Bavon

Durante minhas leituras e pesquisas descobri uma empreendedora de Israel chamada Liat Behr, e ela é simplesmente incrível. Para aproximar as ideias delas eu traduzi esse texto que ela publicou em dezembro de 2016 no site que leva o nome dela. Original: http://liatbehr.com/5-things-women-entrepreneurs-need-2017/

Aqui vão 6 dicas necessárias para toda empreendedora que deseja ter uma saúde financeira melhor nesse segundo semestre:

1. Faça uma lista de todos os seus clientes

 

Sem dúvida, você atraiu novos clientes no primeiro semestre de 2017. Adicione-os à sua lista mais longa, aquela de clientes acumulados ao longo dos anos. Você sabia que “custa cinco vezes mais para atrair um novo cliente, do que manter um existente?” É a razão pela qual Jay Conrad Levinson, autor de Marketing de Guerrilha, explica que nós deveríamos gastar mais da metade do nosso tempo de comercialização e orçamento em clientes existentes. Essa é uma dica que precisa ser levada bastante a sério.

2. Defina sua lista de clientes e descubra quais são os 20% deles que mais gastam com seus produtos

 

O princípio de Pareto afirma que 20% de seus clientes trarão 80% de seus resultados. Descobrir quais clientes estão gastando mais e entrar no nível de compreensão de seus pontos de dor é sua tarefa mais importante. Você provavelmente já tem um produto ou serviço novo que atende a demanda desses clientes, mas se você ainda não o achou, você pode pensar sobre como você poderia oferecer-lhes um produto ou serviço que você não pensou em oferecer. Até agora.

3. Faça um balanço dos objetivos que você atingiu e dos objetivos que você não alcançou

 

Eu não sei você, mas há metas cujo controle eu perdi totalmente, das quais não atingi nenhuma. Algumas coloquei em espera e acabei esquecendo, e a outras eu realmente queria ter me dedicado, mas não consegui. É hora de voltar. É hora de descobrir quais objetivos foram de fato um erro (mesmo que tenham sido atendidos) e quais objetivos devem ser levados mais a sério (e que estão completamente ausentes do plano e precisam ser adicionados). Depois de fazer isso, não se esqueça de desenvolver o plano de ação e amarrá-los em seu calendário.

4. Ter um objetivo de renda mensal

 

Pode parecer óbvio, mas nem sempre é. Se não for óbvio, saiba que você está fazendo um grande desserviço a si mesma quando deixa de definir uma meta financeira mensal. Pense sobre a porcentagem que você gostaria de crescer este ano e alinhe-o com suas atividades de marketing – as mais bem-sucedidas do primeiro semestre e as que você pretende tentar para esse segundo. Não pense que 100% de crescimento ou mais seja impossível. Se esse é seu objetivo, apenas certifique-se de que suas atividades de marketing e os números tenham sentido.

Tenha um objetivo de renda mensal

5. Criar um conteúdo ou calendário de marketing

 

Mesmo que você não tenha um blog, você precisa de algum tipo de calendário para ajudá-la a lembrar quando precisa iniciar certas atividades de marketing. Por exemplo, se você tem um negócio e cria produtos para um público específico, você deve checar quais são as menções ao seu público durante o ano. Por exemplo, no dia das crianças existe uma enorme quantidade de ações direcionadas para esse público, portanto você deve abordar parcerias antes dessa data e descobrir como poderá fazer ações de marketing em conjunto. Não criar um calendário de conteúdo pode significar oportunidades de negócios perdidas, e menos dinheiro no banco.

6. Descobrir qual trimestre foi mais bem-sucedido e qual foi o produto de menor sucesso

 

Agora volte e tente lembrar o porquê. É óbvio que é melhor fazer esse exercício em tempo real. Ou seja, depois de cada trimestre, descobrir por que foi um ótimo trimestre, ou menos do que bom. Mas mesmo que você não tenha feito isso depois de cada trimestre, refletir sobre isso agora irá ajudá-la a descobrir o que você precisa repetir e o que você precisa melhorar. Se você pode elevar seu quadro mais fraco e pensar apenas em três coisas para melhorar seus números, você se sairá melhor no próximo semestre.
Para concluir nota minha: preste atenção ao seu plano de negócios, esteja certa de que vem seguindo suas estratégias e planos de ação, não tenha medo de errar e lembre-se: você é a única responsável por realizar seus objetivos, cuide-se bem e cuide de todo o resto.

Como disse Nietzsche: “Só se pode alcançar um grande êxito quando nos mantemos fiéis a nós mesmos.”.

Ana Carolina Moreira Bavon

Conheça Nossos Serviços